Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Triptofano

Como ser 20% mais feliz?

16
Ago17

Porque é que eu não nasci rico?


Mas quando digo rico refiro-me a obscenamente rico. Aquele tipo de rico que tem um cinema privativo em casa, com um senhor pronto a fazer pipocas quentinhas a escorrer de manteiga, que convida os amigos civilizados para ver um filme de terror e apanhar uns valentes sustos. É que assim evitava ter de ir ao cinema do Colombo.

 

A Tatiana Manuela desafiou-me para ir ver ao cinema o Annabelle 2: A criação do mal. Como vivemos em Benfica resolvemos ir ao cinema mais perto de nós que é o Colombo, só nos os dois visto que o cara metade se vê filmes de terror fica sem conseguir dormir durante dois dias. Tenho a dizer que o Annabelle 2 é melhor que o primeiro, tem mais sustos, mais momentos em que enfiamos o guardanapo que usámos para limpar as mãos das pipocas todo na boca tal é a ansiedade e explica a origem da Annabelle, aquela boneca do demónio que não consigo perceber porque é que toda a gente fica aos saltinhos quando a descobre numa loja de antiguidades. Pessoal a boneca tem um ar assustador, em vez de a levarem para casa queimem-na no primeiro crematório que encontrarem se faz favor!

 

annabelle.jpg

 

 

Mas mais terrorífico que o filme foi a experiência que se passou no cinema. Cada vez mais acredito que as pessoas caminham para a anarquia comportamental e passo a explicar porquê:

  • Chegam atrasados. Mas extremamente atrasados. Eu sei que as filas são longas, que uma pessoa depois ainda quer pedir pipocas e fica naquela indecisão entre comprar o Menu Maxi ou o Jumbo mas por favor há limites. Existe uma hora anunciada de início de sessão e entra essa hora e o começo do filme propriamente dito vão pelo menos uns quinze minutos! É normal então que já quando o filme começou ande gente dum lado para o outro com os telemóveis a tentar descobrir onde se sentar? E como não descobrem à primeira lá andam com a cabeça a tapar o ecrã e uma pessoa perde o início da história.
  • Sentam-se em lugares que não são deles. A sessão das 21:40 a que fomos estava completamente cheia. Ao barrote mesmo. Felizmente tínhamos comprados os bilhetes online no dia anterior e tínhamos lugares espectaculares. À nossa frente estavam quatro bancos desocupados, pessoas que provavelmente não puderam vir. Claro que cada grupo que chegava atrasado sentava-se naqueles lugares. E lá vinha o gerente de sala ver os bilhetes e recambiar as pessoas para os seus lugares. Vi quatro grupos a sentarem-se e a levantarem-se, todos eles atrasados, todos eles a taparem-me a visão!
  • Falam como se estivessem em casa. Sim senhor eu aguento o mastigar das pipocas (afinal também gosto), percebo que de vez em quando se faça um comentário (eu também faço) mas o que não compreendo é as pessoas que estão constantemente a falar e com um tom de voz normal. Será que não percebem o conceito de sussurrar? E que no cinema a falar-se fala-se com o vizinho do lado e não se grita para a pessoa que está a quatro cadeiras de distância? Chegou ao cúmulo de haver pessoas a repetir as falas da personagem em voz alta! Ninguém avisou estas pessoas que não estão sozinhas no mundo?
  • Não percebem que tipo de filme estão a ver. Um filme de terror é para ser sentido, se a pessoa não entra no espírito não tem piada nenhuma. Eu entendo que haja risos nervosos depois de um susto, serve para descomprimir. Mas haver ataques de riso histérico em cada cena quando não há sequer razão para tal? Honestamente houve alturas que eu pensei que estava a ver uma comédia mas na realidade a minha experiência é que estava mais perto de uma drama com um final de tragédia.
  • São porcas! Peço desculpa mas sem usar eufemismos as pessoas são umas grandes porcas. O rapaz que estava ao meu lado comia as pipocas e mandava para o chão os grãos de milho por rebentar. Tirava-os da boca e mandava-os praticamente para cima dos meus pés! Foi preciso muito auto-controle para não lhe enfiar o meu pacote de pipocas pela boca dentro.

 

Agora percebem porque é que eu preciso tão desesperadamente de ganhar o Euromilhões para poder ter um cinema privado!

47 comentários

Comentar post

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Follow

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D