Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Triptofano

Como ser 20% mais feliz?

28
Set17

O buraco negro da blogesfera


Cada vez estou mais convencido que algures na blogesfera existe um buraco negro que de vez em quando, puff, engole meia dúzia de bloggers.

 

Digo isto porque uma pessoa segue entusiasticamente outro alguém, troca comentários, alegra-se com as suas conquistas, entristece-se com os dias menos bons, e de um dia para o outro, simplesmente deixa de haver posts para ler.

 

Claro que uma pessoa primeiramente pensa que se calhar é um período de mais trabalho, não há tanta disponibilidade para o mundo virtual.

Mas depois os dias sucedem-se e não há sinais de vida; pensamos que pronto o blogger foi de férias para um destino tropical, também merece - mas lá no fundo não acreditamos nisso porque nem um post a meter pirraça com fotos de praias deslumbrantes ou coisa similar?

 

Passam três semanas - demasiado tempo para se continuar de férias a não ser que se tenham estoirado os 22 dias todos de uma vez. Começamos a pensar no pior.

 

Será que ficou sem Internet? Claro que há sempre a Internet do trabalho ou da biblioteca municipal!

Terá emigrado? Não é razão para abandonar o blog!

Aliens raptaram-no e deixaram-no com a capacidade intelectual duma couve? Pouco provável!

 

Deixamos vários comentários no último post. Mandamos e-mails para o endereço que está no perfil público. Parecemos uns ex-namorados loucos por reatarem a relação. No fim não obtemos nenhuma resposta.

 

O buraco negro da blogesfera fez mais uma vítima.

 

Esta deformação do espaço-tempo deixa-me danado, porque sempre que suga um blogger parte de mim também desaparece.

Quem me devolve o tempo que investi a ler certo blog, a trocar ideias, a pensar que estava ali alguém que se preocupava comigo e que tínhamos tudo para desenvolver uma boa relação de amizade?

 

Não consigo deixar de sentir que sempre que alguém desaparece deste mundo virtual é como se tivesse levado com os pés - é que depois não tenho o número de telemóvel para ligar à pessoa, nem a sei reconhecer na rua se a vir do outro lado do passeio, nem tenho a morada para ir bater à porta dela e perguntar porque é que me deixou assim sem mais nem menos.

 

Por causa disto (e não só) é que hoje dei o meu primeiro passo para combater este flagelo que, acredito, tantos de nós atormenta. E esse passo foi conhecer ao vivo e a cores um dos bloggers que eu sigo, a Fátima Bento.

 

Só tenho a dizer que a Fátima ainda é melhor ao vivo do que no virtual, ainda é mais simpática, mais gira e mais querida.

 

E agora mesmo que aquele local onde nem as partículas que se movem à velocidade da luz conseguem escapar quiser engolir a Fátima eu já tenho o telefone dela.

E já a consigo reconhecer a dois quarteirões de distância.

E pelas dicas que me deu quase que sei ir ter a casa dela! (minto - com o meu sentido de orientação quando desse por ela estava em Andorra!)

 

Por isso amigos da blogesfera, livrem-se, mas livrem-se mesmo de serem sugados pelo buraco negro. É que pronto, fazem-me falta!

 

41 comentários

Comentar post

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Follow

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D