Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Triptofano

Como ser 20% mais feliz?

Triptofano

Como ser 20% mais feliz?

23
Jul17

Felicidade a que custo?


Triptofano!

Comecei a ver hoje uma série do Netflix chamada "Friends from College". A história é acerca de um grupo de amigos do tempo da faculdade com um passado romântico complicado que volta a estar junto. É uma série leve, fácil de ver, mas um dos episódios fez-me remoer um assunto que já varias vezes assaltou a minha mente.

 

O episódio em questão gira à volta dum casamento que apenas aconteceu porque uma das partes foi infiel à pessoa com quem estava casada antes. Depois de alguma discussão sobre o quão reprovável ou não era toda a situação uma das personagens diz

 

"A vida é curta. Temos que fazer o que queremos senão podemos arrepender-nos. Mesmo que implique magoar algumas pessoas."

 

Não sou ninguém para julgar ninguém. Não vou atirar pedras porque todos temos telhados de vidro, todos erramos, todos gostaríamos de ter agido de forma diferente em alguma situação na nossa vida. Mas não consigo deixar de pensar se na demanda para a felicidade não deixamos para trás os valores mais básicos.

 

Qualquer relação tem os seus altos e baixos. E na maior parte das relações o sentimento que existia no início não permanece exactamente igual, transforma-se, às vezes aumentando outras vezes diminuindo, consoante a dinâmica do casal. Mas o que creio que nunca se deveria alterar era o respeito!

 

Respeito pela pessoa que esteve connosco, que nos amou e que nós amámos de volta, da pessoa que um dia dissemos ser a tal. E mesmo que um dia descubramos que essa pessoa já não é a tal devemos respeitar e guardar todas as coisas boas que vivemos a dois.

 

A vida é realmente curta e devemos fazer o que queremos de forma a não nos arrepender-mos. Mas nunca devemos magoar os outros. Ou pelo menos não devemos fazer por magoar os outros. O fim de uma relação pode trazer mágoa qualquer que seja a forma que esta acabe, mas é preciso trazer uma dose extra de sofrimento esfregando na cara da pessoa que já se tinha outra enquanto a relação durava?

 

Podem-me dizer que não escolhemos por quem e quando nos apaixonamos! Concordo totalmente. Mas podemos escolher quais são as acções que vamos tomar a partir daí. Podemos ser honestos, frontais e respeitadores, terminando as coisas e seguindo o nosso caminho. Ou podemos ver como é que são as coisas com a nova pessoa e deixar a outra de reserva em casa, porque na realidade o que importa é a nossa felicidade e os outros que se danem!

 

Incomoda-me muito, demasiado até, quando algum colega de trabalho começa com conversas do já não aguento a minha mulher. Ou estou farta do idiota do meu marido. E eu penso, por favor façam algo e sejam felizes, mas respeitem a pessoa com quem escolheram estar. Porque se é para vivermos na nossa bolha só a pensar na nossa felicidade e menosprezar o efeito das nossas acções sobre os outros, então é preferível viver isolado.

 

Friends.jpg

 

 

P.S: Hoje fiz uma água aromatizada deliciosa de pepino e morango. Obrigado à  Fátima Bento pela receita.

 

 

12 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Follow

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D