Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Triptofano

Como ser 20% mais feliz?

11
Out17

Comprar gato por lebre


Comprar um multivitamínico deveria ser algo fácil e intuitivo, olhar para a caixa, ver a quantidade de comprimidos, comparar os preços, pagar e tomar.

 

Porém com a oferta que existe hoje em dia é necessário que nós consumidores estejamos cada vez mais atentos para não comprarmos gato por lebre, e para isso é preciso ter em mente certos detalhes.

 

    • Nunca devemos comparar o preço por caixa mas sim por dose. Ou seja, primeiro que tudo temos que ver quantas doses possui a caixa que temos nas mãos. Ter sessenta comprimidos não significa que dê para sessenta dias, porque se a dose diária recomendada for de 4 comprimidos então só temos terapêutica para 15 dias. Depois de nos assegurarmos para quantos dias dá o produto que temos na nossa frente, pegar na calculadora, ver qual é o valor que vamos pagar por dia e a partir daí fazer as comparações.

 

    • Ver a dosagem de cada substância. E aqui novamente é ver a dosagem relativa à dose diária que vão tomar. Não é a quantidade de uma certa vitamina por 100g de produto, porque aí vão pensar que estão a comprar algo concentradíssimo quando não o é. Nem a quantidade por comprimido se tiverem que por dia tomar 10, porque neste caso vão achar que o produto é mais ar que outra coisa quando afinal até pode ter uma quantidade razoável.

 

    • Saber qual a quantidade real de uma substância na sua forma isolada. Por exemplo, comprar umas ampolas com 1500 mg de pidolato de magnésio não significa que se esteja a comprar 1500 mg de magnésio. Muitas marcas não colocam a conversão para a substância isolada e pensamos que estamos a fazer um negócio da China quando afinal estamos a comprar uma quantidade muito menor do produto que tínhamos interesse.

 

    • Focar bem o olhar e perceber se à frente de cada ingrediente está o símbolo de grama, de miligrama ou de micrograma. Porque 100000 microgramas e 0.1 gramas pode parecer uma diferença abismal mas no fim são a mesma coisa.

 

  • Perceber para que função queremos o suplemento. E assegurarmos-nos que na composição existe algo que vá de encontro às nossas expectativas. Se queremos energia convém haver algo que tenha como função primária dar energia no produto que vamos comprar. E numa concentração simpática. Às vezes compram-se produtos com concentrações menores mas com mais diversidade de substâncias, mas eu penso sempre na comparação da salada de frutas. Se queremos comer papaia, porque é que não comemos apenas papaia em vez de uma salada de frutas que possui 20 frutos diferentes mas com apenas um cubinho de cada um deles?

 

Hoje em dia ser consumidor é uma tarefa complicada!

 

 

O LEITOR DECIDE.png

 

24 comentários

Comentar post

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Follow

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D