Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Triptofano

Como ser 20% mais feliz?

26
Set17

As minhas férias #3


E eis que chega finalmente o relato das minhas férias na ilha de São Tomé. Já sabem o que aconteceu no ilhéu das Rolas por isso vou-me debruçar apenas sobre o que sucedeu na ilha-mãe. Mas aviso-vos desde já que este post vai ser longo e repleto de fotos, por isso se estão ensonados toca a ir beber um café para arrebitar.

Vamos lá então.

 

~ Paisagens ~

 

A Ilha de São Tomé é, de si, uma paisagem estonteante que se embrenha em todos os nossos poros. No entanto, para mim houve locais que me marcaram, e são esses que aqui vos apresento.

 

Praia Piscina

 

De acesso não demasiado fácil a Praia Piscina mantém um ar meio selvagem que cativa o amante da natureza no seu estado puro. As águas agitadas e a sombra dos coqueiros transportam-nos para uma era onde não existe o turismo de massas. É o local ideal para estender a toalha e dormitar, tendo sempre cuidado com os caranguejos fantasmas que saem das suas tocas para espreitar.

 

Praia Piscina.JPG

 

Praia Piscina (2).jpg

 

 

Praia das Sete Ondas

 

Esta extensa praia têm como segredo ser a única do planeta onde se pode encontrar uma certa "concha" de ouriço. Quando se chega somos abordados por crianças sorridentes que nos apresentam mãos cheias dessas conchas, esperando receber em troca alguns euros. Se não quiserem fazer negócio uma pequena caminhada pelo areal será suficiente para encontrarem meia dúzia de exemplares, a preço zero. Agora atenção, lavem-nas sobre água corrente durante algum tempo, é extraordinária a quantidade de areia que vai sair dentro delas.

 

Praia Sete Ondas.JPG

 

Ouriços.jpg

 

 

Lagoa Azul

 

Um óptimo local para dar um mergulho e para comer marisco nas margens. Se não quiserem banhar-se, aproveitem e subam o pequeno monte para ver as vistas e admirar os baobabs e as suas frutas pendentes - o pão de macaco!

 

Lagoa Azul.JPG

 

Pico do Cão Grande

 

De origem vulcânica este Pico é impressionante de ser visto quando as nuvens não teimam em deixá-lo parcialmente tapado. Ao seu redor podem-se ver plantações enormes de palmeiras de onde se extraem os famosos óleo e vinho de palma. Apesar de serem importantes para a economia local, uma plantação excessiva de palmeiras leva a que outras árvores, muitas delas de fruto, não se consigam desenvolver ou deixem de ter o seu espaço, o que por sua vez cria uma escassez alimentar em povoados mais pequenos.

 

Pico do Cão Grande.jpg

 

As Roças

 

Algumas estão em funcionamento, muitas estão desactivadas, mas é sempre incrível visitá-las. Com uma história repleta de detalhes fascinantes e muitos actores que por elas passaram, as roças foram importantes locais de decisão para a vida dos países, formando comunidades únicas. Ver o outrora edíficio do hospital, a casa do patrão, as senzalas e dependências e ainda perceber a história associada a cada roça torna-se imprescindível numa viagem a São Tomé.

 

Roça Agostinho Neto.JPG

 

Passeio de Barco no Rio Malanza

 

A viagem que mais me surpreendeu. Há algo de mágico num pequeno barco movido à força de remos que rompe o silêncio das águas. Depois de passarmos Porto Alegre, os mangais entram-nos pelos olhos e com sorte encontramos alguns macacos que despertam do seu sono! Quando fomos, os peludos mamíferos já tinham ido para outras paragens em busca de alimento, se soubesse tinha levado o Macaco José, pendurado-o num ramo e tirado uma foto digna da National Geographic.

 

Malanza Barco.jpg

 

~ Cultura ~

 

Mercado

 

O mercado da cidade de São Tomé é uma visita repleta de sons, cores, cheiros e energia humana. Em todas as direcções que olhemos há pessoas a vender e a comprar, regateios entrecortados por gargalhadas, rostos sorridentes que nos pedem para tirarmos uma selfie, ou a nova tendência: uma groupie. Seja para comprar ou apenas para turistar o mercado é de paragem obrigatória para conhecer a diversidade de produtos santomenses.

 

O mercado.JPG

 

Museu do Café

 

Situado na Roça do Monte Café, este museu é pequeno e singelo mas mostra-nos todos os passos necessários para que possamos ter na comodidade dos nossos lares tão deliciosa bebida! Se encontrarem um cafeeiro e quiserem saber se pertence à variedade arábica ou robusta é no museu que aprendem a fazer a sua distinção.

Entrada: 3 euros com direito à degustação de uma bica.

 

Café.jpg

 

Os secadores de cacau na Roça de Água-Izé

 

Sabiam que aquela película branca deliciosa que envolve o grão de cacau ao secar pode ser usada para fazer licores? E que os grãos de cacau que são secos ao sol são de maior qualidade do que aqueles que são secos em estufa? Os secadores são impressionantes e a Roça Água-Izé, uma das mais antigas de São Tomé, é merecedora também de uma visita.

 

Secador de Cacau.JPG

 

 

A fábrica de chocolate de Cláudio Corallo

 

Ou melhor dizendo a micro-fábrica de chocolate onde nos dão a conhecer a paixão pela qualidade e perfeição que Cláudio Corallo coloca em cada chocolate que produz. Não gostam de chocolate negro por ser demasiado amargo? Depois da prova de mais de dez chocolates diferentes vão perceber que se calhar não andavam a comer os certos. Impossível terminar a degustação sem querer levar metade da loja para casa.

Entrada: 4 euros com direito à degustação de variados tipos de chocolate (repito, mais de 10!). A visita só se realiza em determinados dias e horas específicas, existindo um sistema de senhas que permite que quem possui senha entre primeiro e se possa sentar. É normal haver vendedores de artesanato ao pé da fábrica ligeiramente mais insistentes que o habitual.

 

Chocolate.JPG

 

 

~ Comida ~

 

Chef João Carlos Silva

 

Não sei se o restaurante do Chef João Carlos possui algum nome específico, visto que toda a gente o conhece pelo nome dele. É um espaço amplo, um laboratório gastronómico fervilhante de vida, privilegiado com uma vista de tirar o folêgo sobre a baía de São João dos Angolares. Tem ainda para tocar, cheirar e trincar diversos produtos utilizados na gastronomia local, desde o limão-francês, ao ossame, ao pau-pimenta, ...

As doses são pequenas, porém a refeição é composta por sete entradas, três limpa palatos, um prato principal e duas sobremesas. Dúvido que vão ficar com fome.

Conhecemos a filha do Chef, a Olinda. O João Carlos estava a descansar, o malandro.

 

João Carlos Silva.JPG

 

Casa Museu Almada Negreiros

 

Comida deliciosa, vista linda, ritmo leve-leve. As memórias deste restaurante são boas, sendo que a minha mãe ficou babada quando no final da refeição lhe ofertaram uma líndissima rosa porcelana.

Um detalhe que eu considerei deleitante foi a sala cheia de máscaras tribais - houvesse dinheiro e espaço na bagagem e tinha-as levado todas.

 

Casa Almada Negreiros.JPG

 

 

Papa Figos

 

O melhor local para comer na minha opinião. Peixe fresquíssimo a entrar literalmente restaurante dentro (vimos passar um cherne com, seguramente, mais de 100kg!). Marisco de óptima qualidade. A carne (visto que a mamã não pode comer peixe) era tenra e os acompanhamentos deliciosos (que saudades da fruta pão e da banana fritas, das quais sempre pediamos uma dose extra sem pagar mais por isso, diga-se, neste ou em qualquer outro restaurante). Cerveja Rosema fresquinha para matar o calor. E o melhor de tudo, um preço tão barato que achámos que não podia ser verdade.

 

Papa Figos.JPG

 

~ Alojamento ~

 

N'Guembu

 

Não fiquei alojado neste local mas se voltar certamente será a minha opção. Meia dúzia de villas, uma vista de cortar a respiração, um restaurante razoável e um acesso quase privado à praia com o mesmo nome são argumentos mais que suficientes para aqui passar um par de noites.

 

Nguembu.jpg

 

Pestana São Tomé

 

Nada a apontar a este hotel, tirando o facto do cara metade ter ficado preso no elevador com uma senhora das limpezas. Comida fantástica, quartos espaçosos e confortáveis, staff simpático. Agora para ser uma estadia mesmo perfeita peçam um quarto com vista para o Golfo da Guiné. Não há nada mais memorável do que estarmos sentados na varanda, a ver o sol nascer (carregados de repelente para não sermos comidos pelos insectos claro) e sermos brindados com golfinhos e baleias a brincarem alegremente.

Se quiserem ser ainda mais específicos peçam o quarto onde fiquei, o 1220, que possui uma vista sem grandes palmeiras a tapar a linha de horizonte, além de que se um dia eu ficar hiper famoso podem dizer que já dormiram no quarto onde o Triptofano também já dormiu. Espero é que entretanto tenham mudado os lençóis.

 

Pestana SãoTomé.JPG

 

 

~ As Pessoas ~

 

Se há vendedores mais insistentes? Há alguns!

Se existem crianças que pedem doces quase sem parar para respirarem? Poucas mas há!

Se o mais incrível nesta viagem foi o sorriso tímido das crianças, a alegria dos adultos, o carinho no olhar dos idosos, a felicidade que irradiava de cada ser humano? Sem qualquer sombra de dúvida.

 

Pax.JPG

 

Espero que este relato tenha despertado a vontade de visitarem São Tomé. Garanto-vos que não se vão arrepender!

 

23 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Follow

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D